Mas afinal, para que fim comercial é usado o Mogno Africano?

Uma das maiores preocupações quando trabalhamos com ativos florestais é a comercialização da madeira, no momento do desbaste e do corte raso. O desbaste ocorre entre 8 e 10 anos após o plantio e consiste no corte de cerca de 50% da produção a fim de abrir espaço para que o restante das árvores ganhe ainda mais volume e traga ainda mais rentabilidade para o investidor. Esse primeiro momento ocorre quando a madeira ainda é jovem, mas nem por isso deixa de ser um evento de liquidez para o investidor, que já receberá o payback de seu aporte inicial.

Pensando nesses dois momentos, é comum que o investidor se pergunte para quais finalidades de mercado serão utilizadas as toras de madeira, e esse é justamente um dos fatores pelos quais a Radix escolheu o Mogno Africano como veículo principal de nossos plantios.

Porque escolhemos o Mogno

A definição dessa espécie como nosso “carro-chefe” foi guiada por diversas motivações comerciais e ambientais. O Mogno oferece características que facilitam o manejo florestal e favorecem a lucratividade a longo prazo. Por exemplo, apesar de ter um ciclo de crescimento mais longo que outras culturas convencionais, como o Pinus e o Eucalipto, o Mogno oferece maior valor agregado para diversos mercados e chegou a ser apelidado de Ouro Verde, por especialistas nesse mercado. Além disso, o Mogno é resistente à pragas e altamente adaptável ao solo e clima de nossa região.

Outro ponto que pesou muito nessa escolha foi a sustentabilidade oferecida pelo Mogno, após a venda da madeira beneficiada. Suas características como a versatilidade, elegância, durabilidade, resistência e brilho tornam essa espécie muito apreciada para fins comerciais como movelaria, pisos, instrumentos musicais, entre outros que abordaremos mais adiante, e sabe o que esses fins tem em comum? Nenhum deles devolve o gás carbônico para a atmosfera em sua produção, o que agrega ainda mais valor ambiental para nosso projeto. Aliado a isso, ainda é importante lembrar que, devido ao seu ciclo longo, as árvores de Mogno ainda produzem benefícios ambientais como a melhora da qualidade do ar, corredores para a fauna e etc. enquanto crescem.

Agora que você já conhece melhor algumas das características que nos levaram a escolher o Mogno, vamos falar dos seus usos principais:

Iates e aeronaves de luxo

O entrelaçamento presente nesse tipo de madeira, torna o seu uso ideal para a construção da parte exterior de embarcações, pois oferece resistência à infiltrações e outros danos causados pela água. Na parte interna, a madeira nobre é usada não apenas para conferir beleza ao acabamento de pisos e painéis desses barcos e aeronaves, como também é valorizada por ser resistente ao apodrecimento e extremamente durável.

Instrumentos musicais

Outro uso, bastante popular, é na construção de instrumentos musicais como guitarras, baterias, violinos e pianos de cauda. Isso se deve às características do Mogno que ajudam a conferir um som mais quente e profundo do que outros tipos de madeira, usadas para o mesmo fim. É usada inclusive na confecção de fones de ouvido, conferindo um aspecto premium e uma qualidade de som impecável.

Móveis  

A madeira maciça, proveniente do corte raso, é muito apreciada para a confecção de móveis e itens decorativos, tanto para decoração interna, quanto em áreas externas. Esse tipo de madeira é bastante estável e durável, perfeita para ser usada em móveis e até mesmo em construções refinadas. Sua coloração é elegante e a madeira permite ser entalhada com precisão. Com a manutenção e limpeza corretas, essas peças vão acompanhar várias gerações.

Portas

Para quem não abre mão da elegância e refinamento em cada detalhe, as portas confeccionadas com Mogno Africano deixam qualquer ambiente com um estilo rústico e glamuroso ao mesmo tempo. A firmeza, durabilidade e o peso dessa madeira também depõe a favor desta escolha para portas de entrada ou mesmo, na parte interna da casa.

Essas características também tornam essa madeira a candidata ideal para a construção de armários maciços e funcionais.

O futuro do Mogno

Como você pode ver, o Mogno Africano é altamente versátil, e se engana quem pensa que a lista para por aqui. Vale a pena citar também o uso de lâminas de Mogno usadas na confecção de pisos, na construção de decks de madeira, em objetos ornamentais de decoração e até mesmo em objetos de uso pessoal, como canetas exclusivas e tacos de bilhar fabricados sob medida.

Para saber mais sobre o que se pode produzir com Mogno Africano, não deixe de acessar a Galeria Mahog Project, uma iniciativa da Associação Brasileira dos Produtores de Mogno Africano(ABPMA), que visa promover as criações de diversos designers, arquitetos e artistas brasileiros.
Além da imagem utilizada para ilustrar essa publicação, você também encontrará por lá diversos produtos e itens exclusivos, produzidos artesanalmente por alguns dos parceiros da Associação. Vale a pena conferir!

É um mercado que demonstra crescimento histórico exponencial, e investir nele já se provou uma estratégia inteligente para quem deseja diversificar a carteira de investimentos, pensando em objetivos de longo prazo. A boa notícia é que com a Radix Investimentos Florestais, você não precisa ser um grande fazendeiro, proprietário de terras ou investidor experiente para lucrar com o Mogno Africano, basta garantir sua cota e se tornar um sócio de nossas florestas clicando aqui.

Por Milene Moraes Almeida
Pós-graduada em Marketing Socioambiental e
Agente de Relacionamento com o Investidor Radix

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.